EPQB EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ EPQB - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
This is an example of a HTML caption with a link.
Formulário de Busca
×

Páginas dos Livros nos Sites das Editoras

Ver Legenda   Página Existente
  Página não encontrada

  1. A Aprendizagem Tecnológica no Brasil
  2. Análise Térmica de Materiais
  3. Aproveitamento Energético e Caracterização de Resíduos de Biomassa
  4. Biocatálise e Biotransformação
  5. Biocombustíveis no Brasil
  6. Biomassa para Química Verde
  7. Chemistry Beyond Chlorine
  8. Compositional Grading in Oil and Gas Reservoirs
  9. Controle e Monitoramento de Poluentes Atmosféricos
  10. Dinâmica, Controle e Instrumentação de Processos
  11. Economia da Energia
  12. Engenharia de Processos
  13. Gestão em Biotecnologia
  14. Glycerol - A Versatile Renewable Feedstock for the Chemical Industry
  15. Handbook of Fruit and Vegetable Flavors
  16. Inovação - O Combustível do Futuro
  17. Mapeamento Tecnológico de Polímeros Furânicos
  18. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 1: Hidrocraqueamento de Frações Pesadas
  19. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 2: Hidrotratamento de Destilados
  20. Modelagem e Controle na Produção de Petróleo
  21. Monoethylene Glycol as Hydrate Inhibitor in Offshore Natural Gas Processing
  22. Olefinas Leves - Tecnologia, Mercado e Aspectos Econômicos
  23. Oportunidades em Medicamentos Genéricos
  24. Panorama e Perspectivas da Estocagem Geológica de Gás Natural
  25. Patenteamento & Prospecção Tecnológica no Setor Farmacêutico
  26. Planejamento de Experimentos usando o Statistica
  27. Potencialidades do Cajueiro
  28. Processos Inorgânicos
  29. Reologia e Reometria - Fundamentos Teóricos e Práticos
  30. Reúso de Água em Processos Químicos
  31. Setores da Indústria Química Orgânica
  32. Technology Roadmap
  33. Tecnologia do Hidrogênio
  34. Tecnologia Enzimática
  35. Tecnologias de Produção de Biodiesel
  36. Technological Trends in the Pharmaceutical Industry
  37. Tendências Tecnológicas no Setor Farmacêutico
×

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2008

Análise da Produção das Aureocinas A70 e A53 para uso em Alimentos e caracterização da Bac 3682.

Autora: Patricia Carlin Fagundes.
Orientadores: Maria Helena Miguez da Rocha Leão, Maria do Carmo de Freire Bastos.

Resumo

Este trabalho investigou o potencial de aplicação das aureocinas A70 e A53 na preservação de alimentos, além de detectar novas bacteriocinas (Bac) com o mesmo potencial de aplicação.

Na primeira parte deste trabalho, verificou-se que o meio de cultura BHI, ainda que mais oneroso para a indústria, mostrou ser o melhor meio de cultura para a produção das aureocinas A70 e A53. A produção máxima da aureocina A70 no meio BHI (1.600 UA/ml) foi alcançada com 8 h de crescimento da estirpe. Com relação à produção da aureocina A53, o máximo de produção foi de 400 UA/ml, com 6 h de crescimento da estirpe no meio BHI. Os valores determinados para a taxa específica de crescimento (durante a fase log) foram de 1,41 h-1 e tempo de duplicação de 30 min, para a estirpe S. aureus A70, e de 1,35 h-1 e 31 min, para a estirpe S. aureus A53, neste meio.

O rendimento de conversão de Bac em relação ao consumo de glicose e as produtividades relativas ao produto (Bac) formado foram maiores para ambas as estirpes em meio BHI do que no meio YPD. A cinética de ação da aureocina A70 parece ser bactericida contra a estirpe de Listeria innocua ATCC 33090. Entretanto, esta Bac não parece promover uma lise celular acentuada. Contudo, a ação exercida pela aureocina A53 contra a mesma estirpe testada foi bacteriolítica.

A meia-vida da aureocina A70, à temperatura de 25°C, foi de oito semanas, enquanto que a 4°C a meia-vida só foi observada na 20ª semana do experimento. Com relação à temperatura de -20°C, a meia-vida da aureocina A70 ocorreu no intervalo entre a 20ª e a 24ª semanas de armazenamento. Com relação à temperatura de 25°C, a meia-vida da aureocina A53 foi observada já na quarta semana, enquanto que a 4°C só foi detectada após 72 semanas. Não foi detectada alteração do título da aureocina A53 a -20°C, durante o experimento.

Estes resultados mostram que a aureocina A53 é mais estável com relação à ação dos fatores temperatura de armazenamento e tempo associado do que a aureocina A70. Os experimentos de aprisionamento das aureocinas A70 e A53 em matriz de alginato/gelatina revelaram que uma seção do filme com 1,5 cm² gerou a formação de uma zona de inibição de tamanho igual a 3,4 ± 0,2 cm², proporcionada pela ação da aureocina A70 contra a estirpe Corynebacterium fimi NCTC 7547, indicando que esta Bac foi liberada da matriz de alginato/gelatina. Por outro lado, este fato não foi observado com relação à ação da aureocina A53 aprisionada a esta matriz. Os experimentos de adsorção das aureocinas a material plástico revelaram que ambas permaneceram adsorvidas à superfície plástica utilizada e ativas.

Na segunda parte deste trabalho, 21 estirpes de Staphylococcus spp. de origem animal foram investigadas quanto à produção de substância antimicrobiana (SAM). Apenas quatro estirpes apresentaram atividade inibitória contra a estirpe indicadora C. fimi NCTC 7547, sendo duas identificadas como S. intermedius, uma como S. hyicus e uma como S. epidermidis.

Inscrições abertas para mestrado até 04/07/2018