EPQB EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ EPQB - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
This is an example of a HTML caption with a link.
Formulário de Busca
×

Páginas dos Livros nos Sites das Editoras

Ver Legenda   Página Existente
  Página não encontrada

  1. A Aprendizagem Tecnológica no Brasil
  2. Análise Térmica de Materiais
  3. Aproveitamento Energético e Caracterização de Resíduos de Biomassa
  4. Biocatálise e Biotransformação
  5. Biocombustíveis no Brasil
  6. Biomassa para Química Verde
  7. Chemistry Beyond Chlorine
  8. Compositional Grading in Oil and Gas Reservoirs
  9. Controle e Monitoramento de Poluentes Atmosféricos
  10. Dinâmica, Controle e Instrumentação de Processos
  11. Economia da Energia
  12. Engenharia de Processos
  13. Gestão em Biotecnologia
  14. Glycerol - A Versatile Renewable Feedstock for the Chemical Industry
  15. Handbook of Fruit and Vegetable Flavors
  16. Inovação - O Combustível do Futuro
  17. Mapeamento Tecnológico de Polímeros Furânicos
  18. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 1: Hidrocraqueamento de Frações Pesadas
  19. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 2: Hidrotratamento de Destilados
  20. Modelagem e Controle na Produção de Petróleo
  21. Monoethylene Glycol as Hydrate Inhibitor in Offshore Natural Gas Processing
  22. Olefinas Leves - Tecnologia, Mercado e Aspectos Econômicos
  23. Oportunidades em Medicamentos Genéricos
  24. Panorama e Perspectivas da Estocagem Geológica de Gás Natural
  25. Patenteamento & Prospecção Tecnológica no Setor Farmacêutico
  26. Planejamento de Experimentos usando o Statistica
  27. Potencialidades do Cajueiro
  28. Processos Inorgânicos
  29. Reologia e Reometria - Fundamentos Teóricos e Práticos
  30. Reúso de Água em Processos Químicos
  31. Setores da Indústria Química Orgânica
  32. Technology Roadmap
  33. Tecnologia do Hidrogênio
  34. Tecnologia Enzimática
  35. Tecnologias de Produção de Biodiesel
  36. Technological Trends in the Pharmaceutical Industry
  37. Tendências Tecnológicas no Setor Farmacêutico
×

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2010

Biorremediação de Solo Argiloso Contaminado com Gasolina Aditivada com Diferentes Teores de Etanol.

Autor: Douglas Guedes Ferreira
Orientadoras: Eliana Flávia Camporese Sérvulo, Denize Dias de Carvalho

Resumo

O solo é um ecossistema rico em biodiversidade, entretanto as atividades antrópicas ameaçam a dinâmica e até mesmo a permanência das espécies de microrganismos, animais e vegetais que compõem esse bioma. O uso intensivo do petróleo e seus derivados podem ser apontados como uma das origens dessa ameaça ambiental. Dentre os derivados do petróleo, a gasolina se destaca pela geração de efeitos agressivos ao meio ambiente e à saúde humana. No caso da gasolina brasileira ainda existe um agravante, pois a legislação nacional determina que a gasolina comercial contenha 25% (v/v) de etanol. Essa adição aumenta a solubilidade da gasolina em água permitindo a maior difusão do contaminante, e, por conseguinte aumentando a área contaminada. Desse modo, há a necessidade de se aplicar métodos de tratamento nas áreas afetadas pela contaminação. As opções de tratamento incluem técnicas físico-químicas e/ou biológicas, contudo as técnicas biológicas são, em geral apresentam custos inferiores às técnicas físico-químicas e, ainda, possuem maior aceitabilidade por parte da sociedade e agências reguladoras.

Por isso, este estudo dividiu-se em duas partes, a primeira foi realizada em microcosmos e teve por finalidade avaliar as condições nutricionais e de umidade na biorremediação da gasolina em solo argiloso, bem como verificar se a variação no percentual de etanol na gasolina interfere no processo de biorremediação. Já a segunda parte foi realizada em colunas cilíndricas de 60 cm de comprimento e 10 cm de raio visando verificar a realização do processo em diferentes profundidades de solo.

Os resultados obtidos na primeira etapa indicaram que o teor de etanol testado (25%) não interfere no processo de biorremediação, por outro lado, o ajuste do solo para 50 ppm de fósforo permitiu a remoção de mais 50% do contaminante nos ensaios. Baseado nisso, verificou-se que o maior teor de umidade (40%) colabora para a maior eficiência do processo. Na segunda etapa, o etanol também não interferiu na biorremediação, entretanto permitiu que o contaminante atingisse o fundo da coluna em um menor intervalo de tempo.

A degradação do contaminante foi irrisória no solo sem ajuste de nutrientes, enquanto que nos ensaios com ajuste de 50 ppm de fósforo foi possível remover cerca de 70% do contaminante. Esses dados indicam que a biorremediação pode ser aplicada no tratamento de solos contaminados com gasolina, que introdução de nutrientes é crucial para isso, e também pôde-se observar que a presença do etanol não interfere nesse processo.

Inscrições abertas para mestrado até 04/07/2018