EPQB EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ EPQB - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
Formulário de Busca
×

Páginas dos Livros nos Sites das Editoras

Ver Legenda   Página Existente
  Página não encontrada

  1. A Aprendizagem Tecnológica no Brasil
  2. Análise Térmica de Materiais
  3. Aproveitamento Energético e Caracterização de Resíduos de Biomassa
  4. Biocatálise e Biotransformação
  5. Biocombustíveis no Brasil
  6. Biomassa para Química Verde
  7. Chemistry Beyond Chlorine
  8. Compositional Grading in Oil and Gas Reservoirs
  9. Controle e Monitoramento de Poluentes Atmosféricos
  10. Dinâmica, Controle e Instrumentação de Processos
  11. Economia da Energia
  12. Engenharia de Processos
  13. Gestão em Biotecnologia
  14. Glycerol - A Versatile Renewable Feedstock for the Chemical Industry
  15. Handbook of Fruit and Vegetable Flavors
  16. Inovação - O Combustível do Futuro
  17. Mapeamento Tecnológico de Polímeros Furânicos
  18. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 1: Hidrocraqueamento de Frações Pesadas
  19. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 2: Hidrotratamento de Destilados
  20. Modelagem e Controle na Produção de Petróleo
  21. Monoethylene Glycol as Hydrate Inhibitor in Offshore Natural Gas Processing
  22. Olefinas Leves - Tecnologia, Mercado e Aspectos Econômicos
  23. Oportunidades em Medicamentos Genéricos
  24. Panorama e Perspectivas da Estocagem Geológica de Gás Natural
  25. Patenteamento & Prospecção Tecnológica no Setor Farmacêutico
  26. Planejamento de Experimentos usando o Statistica
  27. Potencialidades do Cajueiro
  28. Processos Inorgânicos
  29. Reologia e Reometria - Fundamentos Teóricos e Práticos
  30. Reúso de Água em Processos Químicos
  31. Setores da Indústria Química Orgânica
  32. Technology Roadmap
  33. Tecnologia do Hidrogênio
  34. Tecnologia Enzimática
  35. Tecnologias de Produção de Biodiesel
  36. Technological Trends in the Pharmaceutical Industry
  37. Tendências Tecnológicas no Setor Farmacêutico
×

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2010

Aplicação de Biossensor Bioluminescente na detecção do HPA Naftaleno em Solo Contaminado com Óleo Cru.

Autora: Giselle da Silva Cavalcanti.
Orientadora: Andréa Medeiros Salgado.

Resumo

Biossensores microbianos capazes de emitir luz perante um composto específico surgem como uma alternativa de ferramenta analítica para a medida de um contaminante. A bactéria Pseudomonas fluorescens HK 44 foi selecionada para detecção de naftaleno em amostras de solo contaminado com petróleo, por ser uma cepa capaz de emitir luz suficiente para servir como um biossensor e como um repórter da atividade biodegradativa deste hidrocarboneto aromático policíclico.

A genuína aplicação dos biossensores na área ambiental, entretanto, encontra alguns entraves, uma vez que os sensores biológicos devem ser expostos a amostras de natureza aquosa, em um meio tamponado. Desta maneira, a análise das amostras de solo contaminado se deu após a etapa de extração química com a hidroxipropil - beta - ciclodextrina (?-HPCD), por esta ser considerada uma metodologia de extração não exaustiva capaz de refletir a fração biodisponível do HPA naftaleno.

No presente trabalho, a cepa HK44 foi aplicada no monitoramento do teor de naftaleno presente em amostras de solo provenientes de um sistema experimental de Atenuação Natural Monitorada contaminado com óleo cru nas proporções de 0,5%; 2,5% e 5% (p/p), exposto a intempéries por um período de 15 meses.

A concentração inicial de naftaleno assinalada pelo sensor microbiano foi de 17,2 mg/kg na condição do solo 5,0% contaminado. No quinto mês de contaminação foi apontada pelo instrumento sensor uma concentração residual de naftaleno igual a 5,8 mg/kg na condição de maior adição de óleo (5%). A partir do oitavo mês, não foi possível detectar a presença do analito no solo em qualquer das concentrações experimentadas.

Os resultados obtidos pelo biossensor corroboram outras análises deste sistema experimental que apontam um elevado percentual de remoção de óleo já no sexto mês de contaminação. Deste modo, a bioluminescência mostrou ser uma técnica sensível a poluentes orgânicos em matrizes ambientais complexas, sendo o biossensor proposto capaz de fornecer uma excelente resposta qualitativa da presença do hidrocarboneto naftaleno em solos contaminados com óleo cru.