EPQB EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ EPQB - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
Formulário de Busca
×

Páginas dos Livros nos Sites das Editoras

Ver Legenda   Página Existente
  Página não encontrada

  1. A Aprendizagem Tecnológica no Brasil
  2. Análise Térmica de Materiais
  3. Aproveitamento Energético e Caracterização de Resíduos de Biomassa
  4. Biocatálise e Biotransformação
  5. Biocombustíveis no Brasil
  6. Biomassa para Química Verde
  7. Chemistry Beyond Chlorine
  8. Compositional Grading in Oil and Gas Reservoirs
  9. Controle e Monitoramento de Poluentes Atmosféricos
  10. Dinâmica, Controle e Instrumentação de Processos
  11. Economia da Energia
  12. Engenharia de Processos
  13. Gestão em Biotecnologia
  14. Glycerol - A Versatile Renewable Feedstock for the Chemical Industry
  15. Handbook of Fruit and Vegetable Flavors
  16. Inovação - O Combustível do Futuro
  17. Mapeamento Tecnológico de Polímeros Furânicos
  18. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 1: Hidrocraqueamento de Frações Pesadas
  19. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 2: Hidrotratamento de Destilados
  20. Modelagem e Controle na Produção de Petróleo
  21. Monoethylene Glycol as Hydrate Inhibitor in Offshore Natural Gas Processing
  22. Olefinas Leves - Tecnologia, Mercado e Aspectos Econômicos
  23. Oportunidades em Medicamentos Genéricos
  24. Panorama e Perspectivas da Estocagem Geológica de Gás Natural
  25. Patenteamento & Prospecção Tecnológica no Setor Farmacêutico
  26. Planejamento de Experimentos usando o Statistica
  27. Potencialidades do Cajueiro
  28. Processos Inorgânicos
  29. Reologia e Reometria - Fundamentos Teóricos e Práticos
  30. Reúso de Água em Processos Químicos
  31. Setores da Indústria Química Orgânica
  32. Technology Roadmap
  33. Tecnologia do Hidrogênio
  34. Tecnologia Enzimática
  35. Tecnologias de Produção de Biodiesel
  36. Technological Trends in the Pharmaceutical Industry
  37. Tendências Tecnológicas no Setor Farmacêutico
×

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2010

Estudo Cinético da Hidrodessulfurização Profunda de Dibenzotiofeno e 4,6-Dimetildibenzotiofeno.

Autora: Daniela Gonçalves Polck.
Orientadores: Mônica Antunes Pereira da Silva, José Luiz Zotin.

Resumo

A preocupação global sobre as emissões de poluentes tem levado ao estabelecimento de especificações mais rigorosas para os combustíveis oriundos de petróleo, entre elas a diminuição do teor de enxofre no óleo diesel. Os alquil-substituídos de dibenzotiofenos, especialmente o 4,6-dimetildibenzotiofeno, têm sido relatados como os compostos sulfurados mais refratários a hidrodessulfurização (HDS). O objetivo desse trabalho foi estudar a cinética de HDS de dibenzotiofeno (DBT) e 4,6-dimetildibenzotiofeno (4,6-DMDBT), empregando-se um catalisador sulfetado de NiMo/?-Al2O3, em reator de leito gotejante a elevadas pressões.

Um planejamento experimental foi usado para avaliar os efeitos de temperatura, pressão de hidrogênio, velocidade espacial mássica na conversão e distribuição de produtos para o DBT e 4,6-DMDBT. Os efeitos da concentração de quinolina, um inibidor das reações de HDS, também foram avaliados. A distribuição dos produtos indica que a HDS de DBT ocorre preferencialmente via rota de dessulfurização direta (DDS) enquanto a rota de dessulfurização com hidrogenação prévia (HID) prevalece para HDS de 4,6-DMDBT. A distribuição dos produtos da HDS de DBT indicou que, ao menos em parte, ocorre a formação de ciclohexilbenzeno (CHB) pela hidrogenação de bifenil (BF), possivelmente via reação em série. Taxas de reação baseadas no modelo do tipo lei de potências foram adotadas, suas constantes da taxa e as correspondentes energias de ativação aparente foram determinadas. O modelo de lei de potências ajustou bem os dados experimentais. A presença de quinolina na alimentação inibiu mais fortemente a HDS de 4,6-DMDBT em comparação ao DBT, devido estes compostos nitrogenados competirem pelos mesmos sítios catalíticos de hidrogenação preferenciais do 4,6-DMDBT.