EPQB EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ EPQB - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
This is an example of a HTML caption with a link.
Formulário de Busca
×

Páginas dos Livros nos Sites das Editoras

Ver Legenda   Página Existente
  Página não encontrada

  1. A Aprendizagem Tecnológica no Brasil
  2. Análise Térmica de Materiais
  3. Aproveitamento Energético e Caracterização de Resíduos de Biomassa
  4. Biocatálise e Biotransformação
  5. Biocombustíveis no Brasil
  6. Biomassa para Química Verde
  7. Chemistry Beyond Chlorine
  8. Compositional Grading in Oil and Gas Reservoirs
  9. Controle e Monitoramento de Poluentes Atmosféricos
  10. Dinâmica, Controle e Instrumentação de Processos
  11. Economia da Energia
  12. Engenharia de Processos
  13. Gestão em Biotecnologia
  14. Glycerol - A Versatile Renewable Feedstock for the Chemical Industry
  15. Handbook of Fruit and Vegetable Flavors
  16. Inovação - O Combustível do Futuro
  17. Mapeamento Tecnológico de Polímeros Furânicos
  18. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 1: Hidrocraqueamento de Frações Pesadas
  19. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 2: Hidrotratamento de Destilados
  20. Modelagem e Controle na Produção de Petróleo
  21. Monoethylene Glycol as Hydrate Inhibitor in Offshore Natural Gas Processing
  22. Olefinas Leves - Tecnologia, Mercado e Aspectos Econômicos
  23. Oportunidades em Medicamentos Genéricos
  24. Panorama e Perspectivas da Estocagem Geológica de Gás Natural
  25. Patenteamento & Prospecção Tecnológica no Setor Farmacêutico
  26. Planejamento de Experimentos usando o Statistica
  27. Potencialidades do Cajueiro
  28. Processos Inorgânicos
  29. Reologia e Reometria - Fundamentos Teóricos e Práticos
  30. Reúso de Água em Processos Químicos
  31. Setores da Indústria Química Orgânica
  32. Technology Roadmap
  33. Tecnologia do Hidrogênio
  34. Tecnologia Enzimática
  35. Tecnologias de Produção de Biodiesel
  36. Technological Trends in the Pharmaceutical Industry
  37. Tendências Tecnológicas no Setor Farmacêutico
×

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2009

Produção de Hidrogênio a partir da Reforma em Fase Líquida do Glicerol e do Hidrolisado do Bagaço da Cana-de-Açúcar

Autor: Robinson Luciano Manfro
Orientadora: Mariana de Mattos Vieira Mello Souza.

Resumo

A reação de reforma em fase líquida (APR - Aqueous Phase Reforming) pode transformar orgânicos oxigenados, como glicerol e xilose (hidrolisado de bagaço de cana), em uma fase gasosa composta principalmente por H2 e CO2 com pequena concentração de CO.

Para esta reação foram utilizados catalisadores de níquel suportados em óxido de alumínio, óxido de zircônio e óxido de cério, os quais foram sintetizados por três diferentes metodologias:

As caracterizações dos catalisadores mostraram que as propriedades morfológicas e estruturais são fortemente influenciadas pela metodologia de preparação. As análises de fisissorção de N2 mostraram que os catalisadores sintetizados por combustão apresentaram as menores áreas BET, sendo que todas as amostras são mesoporosas (diâmetro médio do poro de 20 a 500 Å) com isotermas do tipo IV e histerese do tipo H3.

As análises de redução a temperatura programada mostraram que os catalisadores suportados em óxido de alumínio apresentam um grau de redução inferior a 100%, indicando que não houve redução completa do níquel a níquel metálico, no entanto o grau de redução dos demais catalisadores apresenta valores acima dos 100%, indicando redução adicional do suporte, principalmente no caso dos catalisadores suportados em óxido de cério.

A reação de reforma do glicerol e da xilose foi realizada em reator tipo autoclave. A fase gasosa é composta pelos gases H2, CO2, CO e CH4, os quais foram analisados em um cromatógrafo a gás.

Os resultados mostraram ser possível obter altas concentrações de H2 em temperaturas de reação ao redor dos 250°C na APR do glicerol, e a maior conversão obtida foi de 50%, utilizando o catalisador Ni/Al2O3 preparado por impregnação. Para a APR do hidrolisado do bagaço de cana altas conversões foram obtidas a 175°C para todos os catalisadores testados, no entanto observou-se que o hidrolisado sofre decomposição térmica, e a concentração de H2 produzida é significativamente menor, comparada a APR do glicerol.

Nos testes comparativos com catalisadores de Pt, os catalisadores de Ni apresentaram uma maior atividade catalítica. Análises de difração de raios X mostraram que os catalisadores de Ni sofrem sinterização, aumentando o tamanho do cristal de Ni após reação.

Inscrições abertas para mestrado até 04/07/2018