EPQB EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ EPQB - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
This is an example of a HTML caption with a link.
Formulário de Busca
×

Páginas dos Livros nos Sites das Editoras

Ver Legenda   Página Existente
  Página não encontrada

  1. A Aprendizagem Tecnológica no Brasil
  2. Análise Térmica de Materiais
  3. Aproveitamento Energético e Caracterização de Resíduos de Biomassa
  4. Biocatálise e Biotransformação
  5. Biocombustíveis no Brasil
  6. Biomassa para Química Verde
  7. Chemistry Beyond Chlorine
  8. Compositional Grading in Oil and Gas Reservoirs
  9. Controle e Monitoramento de Poluentes Atmosféricos
  10. Dinâmica, Controle e Instrumentação de Processos
  11. Economia da Energia
  12. Engenharia de Processos
  13. Gestão em Biotecnologia
  14. Glycerol - A Versatile Renewable Feedstock for the Chemical Industry
  15. Handbook of Fruit and Vegetable Flavors
  16. Inovação - O Combustível do Futuro
  17. Mapeamento Tecnológico de Polímeros Furânicos
  18. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 1: Hidrocraqueamento de Frações Pesadas
  19. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 2: Hidrotratamento de Destilados
  20. Modelagem e Controle na Produção de Petróleo
  21. Monoethylene Glycol as Hydrate Inhibitor in Offshore Natural Gas Processing
  22. Olefinas Leves - Tecnologia, Mercado e Aspectos Econômicos
  23. Oportunidades em Medicamentos Genéricos
  24. Panorama e Perspectivas da Estocagem Geológica de Gás Natural
  25. Patenteamento & Prospecção Tecnológica no Setor Farmacêutico
  26. Planejamento de Experimentos usando o Statistica
  27. Potencialidades do Cajueiro
  28. Processos Inorgânicos
  29. Reologia e Reometria - Fundamentos Teóricos e Práticos
  30. Reúso de Água em Processos Químicos
  31. Setores da Indústria Química Orgânica
  32. Technology Roadmap
  33. Tecnologia do Hidrogênio
  34. Tecnologia Enzimática
  35. Tecnologias de Produção de Biodiesel
  36. Technological Trends in the Pharmaceutical Industry
  37. Tendências Tecnológicas no Setor Farmacêutico
×

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2008

Remoção de Óleos e Graxas e Arsênio de Efluente Industrial utilizando Xisto Retortado.

Autora: Patrícia Ferreira Prado.
Orientadoras: Selma Gomes Ferreira Leite, Cláudia Duarte da Cunha.

Resumo

O uso de materiais residuais na remoção de óleo e metais pesados de efluentes industriais surge como uma alternativa aos métodos convencionais de tratamento. Neste trabalho, também foi avaliado o reaproveitamento do xisto retortado como potencial material adsorvente.

Isotermas foram construídas com o objetivo de estudar o comportamento de sorção de arsênio em sistemas em batelada, nas condições de equilíbrio, e os pontos experimentais foram ajustados de acordo com o modelo de Langmuir. Esse procedimento foi útil para avaliação do desempenho dos materiais sortivos. Foram testadas cinco diferentes biomassas (bagaço de cana, pó da casca de coco, palha de coco, casca de arroz e Sargassum sp.) além do xisto retortado. Os materiais testados que obtiveram os maiores valores de captação (qMAX) para arsênio foram: Sargassum sp. (6,32 mg/g) , pó da casca de coco (6,10 mg/g) e xisto retortado (4,39 mg/g).

Com os materiais selecionados (xisto retortado e Sargassum sp.), foram realizados experimentos de sorção em sistema contínuo utilizando colunas de leito fixo. Dois tipos de sistemas foram testados: um deles utilizando duas colunas ligadas em série (uma para cada material selecionado), e o outro utilizando quatro colunas ligadas em série (duas para cada material selecionado).

O sistema com duas colunas em série atingiu o ponto de ruptura para o arsênio com 3,5 horas de tratamento, e nesse ponto houve uma remoção de 90% do arsênio presente na solução. A concentração de óleo e graxas neste sistema atingiu o nível permitido para descarte (Resolução do CONAMA nº 357/2005) também com 3,5 horas de tratamento, alcançando um percentual de remoção de 80% do óleo em solução.

O outro sistema proposto, com quatro colunas em série, atingiu o seu ponto de ruptura para arsênio com aproximadamente 8 horas de tratamento, apresentando um percentual de remoção de 93%, aumentando em 100% o tempo de serviço deste sistema em relação ao anterior. Com relação à remoção de óleo, este sistema se mostrou eficiente, pois no período de 24 horas, a concentração ainda estava abaixo dos limites permitidos pela legislação.

Inscrições abertas para mestrado até 04/07/2018