EPQB EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ EPQB - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
This is an example of a HTML caption with a link.
Formulário de Busca
×

Páginas dos Livros nos Sites das Editoras

Ver Legenda   Página Existente
  Página não encontrada

  1. A Aprendizagem Tecnológica no Brasil
  2. Análise Térmica de Materiais
  3. Aproveitamento Energético e Caracterização de Resíduos de Biomassa
  4. Biocatálise e Biotransformação
  5. Biocombustíveis no Brasil
  6. Biomassa para Química Verde
  7. Chemistry Beyond Chlorine
  8. Compositional Grading in Oil and Gas Reservoirs
  9. Controle e Monitoramento de Poluentes Atmosféricos
  10. Dinâmica, Controle e Instrumentação de Processos
  11. Economia da Energia
  12. Engenharia de Processos
  13. Gestão em Biotecnologia
  14. Glycerol - A Versatile Renewable Feedstock for the Chemical Industry
  15. Handbook of Fruit and Vegetable Flavors
  16. Inovação - O Combustível do Futuro
  17. Mapeamento Tecnológico de Polímeros Furânicos
  18. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 1: Hidrocraqueamento de Frações Pesadas
  19. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 2: Hidrotratamento de Destilados
  20. Modelagem e Controle na Produção de Petróleo
  21. Monoethylene Glycol as Hydrate Inhibitor in Offshore Natural Gas Processing
  22. Olefinas Leves - Tecnologia, Mercado e Aspectos Econômicos
  23. Oportunidades em Medicamentos Genéricos
  24. Panorama e Perspectivas da Estocagem Geológica de Gás Natural
  25. Patenteamento & Prospecção Tecnológica no Setor Farmacêutico
  26. Planejamento de Experimentos usando o Statistica
  27. Potencialidades do Cajueiro
  28. Processos Inorgânicos
  29. Reologia e Reometria - Fundamentos Teóricos e Práticos
  30. Reúso de Água em Processos Químicos
  31. Setores da Indústria Química Orgânica
  32. Technology Roadmap
  33. Tecnologia do Hidrogênio
  34. Tecnologia Enzimática
  35. Tecnologias de Produção de Biodiesel
  36. Technological Trends in the Pharmaceutical Industry
  37. Tendências Tecnológicas no Setor Farmacêutico
×

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2009

Emprego de Yarrowia lipolytica na Degradação de Óleo Cru

Autora: Tatiana Felix Ferreira
Orientadoras: Maria Alice Zarur Coelho, Maria Helena Miguez da Rocha Leão.

Resumo

Yarrowia lipolytica é uma levedura estritamente aeróbia particularmente adaptada a substratos hidrofóbicos. A afinidade por estes substratos se dá devido à elevada hidrofobicidade celular apresentada por esta espécie.

Neste trabalho, foi avaliada a capacidade biodegradadora de uma cepa de Y. lipolytica IMUFRJ 50682, isolada da Baía de Guanabara (RJ-Brasil). Realizou-se um planejamento experimental fatorial completo 24 a fim de estudar a influência das variáveis temperatura, agitação, concentração do inóculo e concentração inicial de petróleo na biodegradação de óleo cru.

Além disso, análises de cromatografia gasosa acoplada ao espectrômetro de massas de amostras de óleo antes e após o processo de biorremediação foram realizadas para investigar quais grupos de compostos presentes no óleo cru a cepa em questão é capaz de assimilar. Y. lipolytica IMUFRJ 50682 mostrou ser um microrganismo com potencial para aplicação em processos de biorremediação, sendo capaz de consumir n-parafinas, isoprenóides e até hidrocarbonetos aromáticos como a classe dos naftalenos e a classe dos fenantrenos.

Todas as variáveis estudadas apresentaram efeitos significativos sobre o processo de biodegradação de óleo cru, sendo que as variáveis temperatura, agitação e concentração do inóculo apresentaram efeito positivo e a concentração inicial de petróleo efeito negativo.

Em paralelo, foi investigada a hidrofobicidade celular de Y. lipolytica perante diferentes substratos. Os substratos utilizados foram glicose, glicerol e petróleo. A hidrofobicidade celular não foi alterada pela fonte de carbono presente no meio de cultivo. Contudo, a fonte de carbono parece alterar a composição da parede celular, e consequentemente, influencia os componentes responsáveis pela hidrofobicidade da célula. Com isso, investigou-se o envolvimento das proteínas e dos polissacarídeos no fenômeno da hidrofobicidade. As proteínas parecem estar diretamente ligadas ao elevado caráter hidrofóbico apresentado pela cepa Y. lipolytica IMUFRJ 50682.

Inscrições abertas para mestrado até 04/07/2018